Conservação da Natureza


A sobre-exploração dos recursos naturais, como a água, o solo, a floresta e os oceanos, tem provocado a degradação da Natureza, bem como, perturbações significativas ao nível da paisagem, fauna e flora, contribuindo para o ritmo elevado de extinções de espécies.

Mostra-se assim a fragilidade das várias “faces” da natureza e da sua interdependência.

Com o crescimento da população, só uma gestão sustentável de todos os recursos, indispensáveis às necessidades humanas básicas e às actividades económicas, poderá garantir uma boa qualidade de vida das populações, a manutenção dessas actividades e dos ecossistemas.

Se for fazer um passeio lembre-se..

• Não leve lixo para a natureza. Deixe em casa as embalagens volumosas ou pesadas e coloque os seus alimentos em sacos ou potes plásticos que possam ser reutilizados.

• Evite levar latas ou vidro.

• Regresse com todo lixo que tenha produzido e, se possível, com aquele que encontrar. Não o enterre!!!

• Acampe longe das fontes de água (60 metros = 70 passos).

• Evite os lugares onde o impacto no ambiente ainda está reduzido, possibilitando a sua recuperação.

• Restrinja sempre que possível as actividades em lugares com vegetação nativa.

• Escolha lugares já designados para acampamento, quando estes existirem;

• Procure permanecer e caminhar em fila indiana nas trilhas no caminho, evitando alargá-las além do necessário;

• Não corte caminho abrindo novas trilhas. Não contribua para a erosão!!!

• Trate a natureza com respeito, deixando onde encontrou flores, plantas, rochas.

• Não toque em objectos de importância histórica ou arqueológica

• As fogueiras podem causar um grande impacto na natureza. Leve um pequeno fogareiro.

• Prefira um lugar onde já tenha havido uma fogueira anteriormente e não a acenda junto a rochas ou debaixo de saliências.

• Limpe completamente o lugar da fogueira para que outros também o usem

“NA NATUREZA NADA SE DEIXA, SÓ PEGADAS”



REDE NATURA

O que é a Rede Natura?

A Rede Natura 2000 é uma rede ecológica de âmbito Europeu que tem por “objectivo, contribuir para assegurar a biodiversidade através da conservação dos habitats naturais, da fauna e da flora selvagens” no território da União Europeia. É composta por áreas de importância comunitária para a conservação de determinados habitats e espécies, nas quais as actividades humanas deverão ser compatíveis com a preservação desses valores naturais, visando uma gestão sustentável do ponto de vista ecológico e tomando, simultaneamente, em consideração as exigências económicas, sociais, culturais, bem como as particularidades regionais e locais.

Como surgiu?

A comunidade Europeia com a finalidade de proteger e gerir o seu património natural estabeleceu uma política ambiental de conservação da natureza e da biodiversidade com a implementação de duas directivas comunitárias: “Aves” e “Habitats”. A Directiva Aves (Directiva 79/409/CEE) tem por objectivo a conservação e gestão das populações de aves (terrestres e marinhas), que vivem no estado selvagem, bem como os respectivos habitats. A Directiva Habitats (Directiva 92/43/CEE) é destinada à preservação dos habitats naturais (terrestres e marinhos), da
flora e da fauna selvagens (terrestres e marinhas) considerados ameaçados, raros ou vulneráveis.

Complementa a legislação comunitária iniciada com a Directiva “Aves”.

A Rede Natura compreende as áreas classificadas como:

- Zonas de Protecção Especial (ZPE) - criadas ao abrigo da Directiva Aves e que se destinam essencialmente a garantir a conservação das espécies de aves e seus habitats e das espécies de aves migratórias e que ocorram de forma regular;

- Zonas Especiais de Conservação (ZEC) - criadas ao a brigo da Directiva Habitats, com o objectivo expresso de contribuir para assegurar a biodiversidade, através da conservação dos habitats naturais e seminaturais e dos habitats de espécies da flora e da fauna selvagens considerados ameaçados no espaço da União Europeia. Para os efeitos do Plano Sectorial da Rede Natura 2000, consideram-se as áreas classificadas, nas fases intermédias do processo, ou seja os Sítios da Lista Nacional e os Sítios de Interesse Comunitário (SIC). A totalidade das ZPE e ZEC constituem a Rede Europeia de Áreas Ecológicas Protegidas, denominada “REDE NATURA 2000”.



QUADRAÇAL


A área protegida denominada por Romeu integra a Rede Natura 2000, tem uma área de cerca de 3032 hectares e localiza-se no sector Leste do Concelho, abrangendo parte das freguesias de Romeu, Cedães e Vale de Asnes.

Apresenta relevo irregular, com o ponto mais elevado a 643m, no Quadraçal e o ponto mais baixo a 250m, no Vale da Ribeira de Carvalhais. A área apresenta uma rede viária relativamente densa, com uma extensão aproximada de
160Km.

Relativamente à ocupação do solo, constata-se que se trata de uma mancha contínua, predominantemente ocupada com Quercus suber (sobreiro), no geral exemplares adultos, intercalados com pequenas áreas de mato.

É a maior mancha de floresta autóctone do Concelho, pelo que a sua preservação é muito importante.

Sabia que…

• Esta área confere enorme riqueza paisagística ao Concelho e é também uma fonte de rendimento da população que aqui exerce a sua profissão. É um registo inconfundível que se destaca na paisagem da Terra Quente Transmontana.


Copyright © 2013 - Todos os direitos reservados
Município de Mirandela - Ambiente e Salubridade